Menu

Marketing Político Digital: tudo o que você precisa saber.

Em um período fortemente marcado pelos embates e controvérsias políticas como o atual, saber como se posicionar e se promover é fundamental para quem pretende se envolver em uma campanha eleitoral. E, de forma crescente, a internet e as redes sociais transformam-se em instrumentos determinantes para uma boa promoção de imagem entre o público em períodos de eleições (e fora deles).

Nesse contexto, surge o marketing político digital. O melhor aliado para partidos e candidatos que desejam ganhar espaço e notoriedade entre potenciais eleitores. Para além da mera divulgação, o digital marketing eleitoral possibilita um acesso mais qualificado entre o público, gerando engajamento e, consequentemente, um maior número de admiradores e, claro, de votos.

A seguir, separamos um guia com 4 eixos essenciais de marketing digital a serem focados em campanhas políticas que irão te auxiliar a elaborar estratégias vencedoras. Confira! 

A produção de conteúdo

A criação e a publicação de bom conteúdo são as chaves para ser bem-sucedido tanto nas relações comerciais como, principalmente, nas eleitorais. Afinal, em uma eleição não há os pretextos do preço baixo, das condições de pagamento, de frete grátis e outros benefícios promocionais/financeiros para o público. A disputa está no campo ideológico, nas propostas para uma cidade e nos argumentos para motivar os eleitores a votar em um determinado candidato.

Nessa estratégia, o foco deve ser na produção de conteúdo relevante, útil e interessante para o público, nos moldes do que prega o Inbound marketing, por exemplo. Isso quer dizer que não se deve apenas falar da trajetória de um candidato, ou seja, falar de si mesmo. A ideia é abordar temas importantes para os eleitores, como os problemas vividos por eles, projetos para o bairro/município/região, polêmicas levantadas pela mídia e por outros candidatos, etc.

Aproveite a variedade de formatos que podem ser usados, como artigos, vídeos, fotos, infográficos, podcasts e muitos outros.

O uso dos blogs e redes sociais

São essas as duas ferramentas cruciais para autopromoção de um candidato. O blog serve para publicar os conteúdos, concentrar as principais informações da campanha e centralizar o tráfego na internet. Outra função importante do blog é a geração de leads – entenda-se nesse caso os leads como potenciais votos e não potenciais consumidores. Sobre esse último ponto, daremos um destaque especial no próximo tópico.

Antes, vamos falar das redes sociais, onde devem funcionar como centros de interações entre político e eleitor. Nessas mídias você pode aproveitar os conteúdos do blog, da imprensa, dos seguidores e de outros candidatos para mobilizar os usuários e estimular o engajamento deles. Quanto maior a participação do público nas suas páginas, mais exposição gera para a candidatura. Portanto, não abra de estar presente em plataformas como Facebook, Twitter, YouTube, Instagram e em aplicativos de mensagem como WhatsApp, Viber e Telegram.

A formação de uma base de contatos

Esse item é importante para garantir um efetivo de eleitores mais envolvidos com a campanha. A ideia é usar as redes sociais e, especialmente, o blog – como destacamos anteriormente, para captar dados de contato dos seguidores e visitantes. As principais informações a serem coletadas são, pelo menos, nome e e-mail.

Com isso, deve ser feito um trabalho de nutrição com base no envio de e-mails, assim como as empresas fazem com seus potenciais consumidores, para enviar conteúdos importantes e até exclusivos da campanha. Assim, se constrói e mantém uma relação mais direta entre candidato e eleitores.

A contratação de uma agência especializada

Pode ser uma empresa, agência ou algum profissional capacitado. De qualquer maneira, tenha em mente que você precisa contar com a experiência e competência de alguém especializado que possa planejar, executar e gerenciar uma campanha de marketing eleitoral digital.

A importância está na profissionalização e nos cuidados com a candidatura. Cada ação de marketing deve seguir um planejamento estratégico e um conjunto de boas práticas que só uma agência ou uma equipe especializada podem proporcionar a uma campanha. Portanto, se você espera fazer sucesso na internet durante as eleições, não chame o sobrinho e nem coloque na conta dos assessores essa dura missão.

Agora queremos saber a sua opinião. O quanto você acredita que o marketing eleitoral digital será fundamental para as campanhas políticas nessas próximas eleições? Participe nos comentários!

Facebook Twitter Google+
Diagnóstico de Marketing Digital

Ebook para Iniciantes

Comentários

Share on Myspace
×